MUSEU do CALÇADO

Notícias

S. JOÃO DA MADEIRA RECEBE SEIS DISTINÇÕES NOS PRÉMIOS APOM

10 Junho 2017

S. JOÃO DA MADEIRA RECEBE SEIS DISTINÇÕES NOS PRÉMIOS APOM

Decorreu ontem a cerimónia de entrega dos Prémios da Associação Portuguesa de Museologia aos quais estavam candidatos 132 museus portugueses, tendo o Museu do Calçado recebido três importantes prémios dos quais muito se orgulha:

- PRÉMIO INOVAÇÃO E CRIATIVIDADE que distinguiu e premiou o Museu do Calçado como o mais inovador e criativo em todas as áreas da sua atividade, da investigação à incorporação, do inventário à conservação, da exposição ao serviço educativo, dos produtos da loja à comunicação;

- PRÉMIO APLICAÇÃO DE GESTÃO E MULTIMEDIA que se refere à qualidade dos produtos multimédia usados nas nossas exposições e que ajudam a contextualizar os seus objetos, promovendo e facilitando o conhecimento;

- PRÉMIO INCORPORAÇÃO que distinguiu a integração de bens culturais no acervo do museu, referindo-se concretamente à incorporação da coleção de sapatos da empresa LUSOLINDO

A estes juntou-se ainda a MENÇÃO HONROSA DE MELHOR MUSEU DO ANO que distingue o Museu do Calçado enquanto instituição que preserva coleções representativas da identidade local, regional ou nacional, que contribui para o avanço do conhecimento da museologia, que contribui para o desenvolvimento social e equilíbrio ambiental, que promove a educação e formação de diferentes grupos sociais e que cumpre com todas as suas funções museológicas.

Estes prémios e esta menção honrosa representam o reconhecimento da qualidade do Museu do Calçado que resulta de uma aposta inequívoca do Município de S. João da Madeira na preservação do seu património mas também do trabalho intenso e de grande qualidade técnica e científica da sua equipa e de todos quantos colaboram com o Museu do Calçado, de doadores a parceiros institucionais.

Deixamos aqui uma palavra especial de agradecimento ao designer João Borges que colaborou com o Museu do Calçado no Projecto de Museografia, ao Sr. Armando Oliveira representante da coleção Lusolindo e às empresas GOFOX e EDIGMA que conceberam as aplicações multimédia do Museu.

À Associação Portuguesa de Museologia, o nosso profundo agradecimento pelos importantes Prémios que nos foram atribuídos e que nos conferem, de hoje em diante, uma ainda maior responsabilidade dentro do panorama museológico português que procuraremos honrar todos os dias com seriedade, rigor e empenho.

Ao Vencedor do Melhor Museu do Ano, o Museu do Dinheiro, e a todos os restantes nomeados e premiados, os nossos felizes e reconhecidos parabéns!

Finalmente, uma palavra especial para os colecionadores António Saint Silvestre e Richard Treger que receberam o PRÉMIO COLECIONADOR e aos colecionadores Norlinda e José Lima que receberam uma MENÇÃO HONROSA também nesta categoria e cujas coleções estão em depósito no núcleo de arte de S. João da Madeira.

NUM CONTO DE FADAS. DA CABEÇA AOS PÉS

01 Junho 2017

NUM CONTO DE FADAS. DA CABEÇA AOS PÉS

O Museu do Calçado e o Museu da Chapelaria apresentam, em 2017, quatro histórias de sucesso. Mais do que meros ‘contos de fadas’ estas são as histórias reais de jovens designers cujo talento e capacidade empreendedora levou as suas criações a viajarem mundo fora, seja na cabeça e pés de celebridades, seja nas salas de exposições de vários museus.

Falamos de ANASTASIA RADEVICH (Canadá), PABLO E MAYAYA (Espanha), KOBI LEVI e MAOR ZABAR (ambos de Israel).

Sob o tema “Num conto de fadas. Da cabeça aos pés” este ciclo programático trará a S. João da Madeira diversas atividades culturais e pedagógicas que incluem exposições temporárias de artistas e designers internacionais, workshops, seminários ou mesas redondas, oficinas criativas, visitas temáticas, encontros com artistas, entre outras, que visam colocar em evidência a ideia de “mundos mágicos” associados a duas indústrias de grande relevância cultural e económica na região, a chapelaria e o calçado.

O grande objetivo da programação dos dois museus passa por colocar em evidência as dimensões criativas e espetaculares destes dois setores industriais, mostrando que a arte e a cultura, a criatividade e os negócios podem andar de mãos dadas.

ARQUIVO