MUSEU do CALÇADO

Destaques

EXPOSIÇÕES TEMPORÁRIAS 2017 | Num conto de fadas. Da cabeça aos pés

O Museu do Calçado e o Museu da Chapelaria apresentam, em 2017, quatro histórias de sucesso. Mais do que meros ‘contos de fadas’ estas são as histórias reais de jovens designers cujo talento e capacidade empreendedora levou as suas criações a viajarem mundo fora, seja na cabeça e pés de celebridades, seja nas salas de exposições de vários museus.

 

22 DE ABRIL A 30 DE SETEMBRO | “ANASTASIA RADEVICH. FORMAS DE ARTE | MUSEU DO CALÇADO

“ANASTASIA RADEVICH. FORMAS DE ARTE” traz a Portugal, pela primeira vez, o trabalho excecionalmente criativo desta designer, toldado por um mundo de fantasia e distopia onde os sapatos emergem como importantes símbolos totémicos da sociedade atual.

Anastasia Radevich é uma designer de calçado bielorrussa que vive no Canadá. Apoiada pela Fundação de Moda de Montreal, concluiu com distinção a sua formação em Design de Calçado no London College of Fashion, uma das principais faculdades de design do mundo. Foi selecionada pelo art-s-talker para ser destaque no e-Creative: London 2009.

Com uma larga experiência na área do design de calçado e acessórios, Anastasia trabalhou no Grupo Aldo em Montreal, para a Bolongaro Trevor (os fundadores de All Saints), Alexander McQueen e Nicholas Kirkwood.

 

20 DE MAIO A 30 DE SETEMBRO | “TOCADOS POR PABLO E MAYAYA” | MUSEU DA CHAPELARIA

”Pablo Y Mayaya” é a marca do famoso duo de chapeleiros espanhóis composto por Pablo Merino e Mayaya Cebrián. Partilhando uma visão onde a tradição se alia à modernidade, Pablo e Mayaya dedicam-se à criação e personalização de belíssimos chapéus e toucados garantindo que cada peça recebe um pouco da sua alma. Os seus chapéus já percorreram o mundo e adornaram muitas cabeças entre as quais a da rainha Letizia de Espanha que é uma das clientes habituais de Pablo Y Mayaya. Com esta exposição, o Museu da Chapelaria pretende fazer uma retrospetiva desta fantástica marca de chapéus e da carreira dos seus criadores.

 

14 DE OUTUBRO A 31 DE DEZEMBRO | “NUM CONTO DE FADAS. POR FAVOR, NÃO COMA OS CHAPÉUS DE MAOR ZABAR!” | MUSEU DA CHAPELARIA

Maor Zabar é um designer de chapéus israelita cujas peças se destacam pela originalidade e excentricidade e cuja principal fonte de inspiração é a sua história de vida e experiência pessoal enquanto estilista de moda e designer de figurinos para o teatro. Cada chapéu, feito em feltro, linho natural ou delicadas sedas, é cuidadosamente trabalhado, costurado e artisticamente pintado à mão para dar origem ao que Maor Zabar chama de “Criação Perfeita”. Insetos, flores, comida, brinquedos ou contos populares são apenas algumas das suas coleções e cada uma delas assume estilos e facetas amplas que vão do realismo à paródia.

 

14 DE OUTUBRO A 31 DE DEZEMBRO | “NUM CONTO DE FADAS. OS ASSOMBROSOS SAPATOS DE KOBI LEVI” | MUSEU DO CALÇADO

Kobi Levi é um original designer de calçado de Tel Aviv (Israel) para quem o sapato é, antes de mais, “arte usável”. Graças à Internet, os seus assombrosos sapatos chamaram a atenção de muitos (e famosos) amantes de calçado. Lady Gaga foi uma das primeiras celebridades a usar um par de sapatos de Kobi Levi. Kobi vê-se como um artista e um designer. As suas criações são únicas, artísticas e inovadoras e desafiam as definições tradicionais de design, arte e moda. Segundo Kobi Levi, os seus sapatos "são glamourosos, mas com sentido de humor", porque podem (e devem) fazer as pessoas sorrir e apreciar a forma como eles lisonjeiam o corpo e brincam com a roupa.

1